Concurso Internacional de Ideias – Quarteirão Aurifícia

O Concurso promovido pela Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) decorreu até 18 de Setembro de 2013 e contou com a participação de 34 equipas concorrentes oriundas de Portugal, Itália, Holanda, França, Lituânia, Brasil, Paquistão, Suíça e Egipto.

Este Concurso teve como objectivo principal definir estratégias de regeneração urbana para o quarteirão delimitado pela Rua Alvares Cabral, Praça da República /Rua Mártires da Liberdade, Rua dos Bragas e Rua de Cedofeita e espaço público confinante e permitir a reflexão e debate em torno de processos de regeneração urbana e de diálogo interdisciplinar, propondo estratégias de acção para esta área da cidade, na ligação entre o eixo da Boavista e da Baixa do Porto.

O local proposto a concurso, oferece condições únicas para se constituir como caso de estudo no âmbito desta temática, pela localização central na cidade do Porto e potencial de dinamização do eixo Boavista-Baixa, pela riqueza intrínseca do seu edificado e excepcionalidade dos espaços interiores do quarteirão.

O trabalho a seguir apresentado é o resultado da colaboração com os colegas arquitectos Filipa Figueira, Tiago Vieira e Nuno Neto e foi o 8º classificado neste Concurso.

 

 

 

 

 

A intervenção neste local pretende abri-lo à cidade e transformá-lo num motor produtor de vivências  que traz até si novas dinâmicas urbanas.

vista 1

vista 2

vista 6

Além da intenção de complementar as redes identificadas como sendo cruciais ao bom funcionamento de uma estrutura como este quarteirão, pretende-se a requalificação da habitação e do edificado existente e a manutenção dos espaços verdes.

Para permitir e potenciar o uso indiferenciado do interior do quarteirão são garantidos os acessos pedonais e clicáveis em toda a área da proposta e nos vários atravessamentos propostos, que permitem a comunicação com todas as frentes urbanas já consolidadas.

Tirando partido da situação excepcional do quarteirão incluir numa área significativa os edifícios da antiga Companhia Aurifícia, é proposto transformar a sua condição de elemento fracturante do quarteirão para a peça que une todo o espaço da intervenção. Este objectivo é atingido pela localização da grande parte das novas funções neste local e também pelo cruzamento dos novos percursos propostos pelos edifícios da fábrica. Estes percursos transformam o interior do quarteirão que se encontra abandonado num espaço urbano qualificado.

As opções programáticas definidas na proposta procuram tirar partido e potenciar o eixo que liga a rua de Cedofeita à estação de metro da Lapa; por outro lado, atrair para o local os alunos dos vários estabelecimentos de ensino que existem nas proximidade, desde o ensino primário ao universitário, em conjunto com instituições de referência da cidade, como a Casa da Música, a Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo, a Fundação José Rodrigues, entre outras. Esta relação permitirá activar não só o Quarteirão e as áreas contíguas mas também a cidade entre ele e todas as instituições envolvidas.

Esta comunicação ao nível macro (com a cidade) e micro (no interior do quarteirão) é essencial à sustentabilidade deste tipo de intervenção. Por este motivo, recusando e afastando-nos da retórica de que a cultura não tem retorno económico a nossa intervenção passa pela proposta de várias actividades que necessitem das restantes para se complementarem. Estabelecendo assim, um circuito interno de relações económicas e sociais que é a base da relação do conjunto com a cidade envolvente.

Anúncios

Remodelação de Cozinha

Carnaxide, Lisboa

Projecto de remodelação de interiores, neste caso concreto, uma cozinha. O prédio é antigo e as dimensões do espaço, muito reduzidas.

Os clientes: trata-se de uma jovem família com uma criança e o objectivo foi dar-lhes uma cozinha com um ar mais jovem e fresco que lhes transmitisse simultaneamente a sensação de estar no exterior. Esse objectivo foi conseguido com a utilização de um clássico do design, o papel de parede Martinique criado por Don Loper em 1942.

01 Corte_Fotor

 

02 Corte_Fotor

 

03 Planta_Fotor

Casa-Laboratório E. M. Melo e Castro

 

Localização

O terreno da intervenção localiza-se na zona mais antiga do Porto. O Porto tem origem na Pena Ventosa por uma questão estratégica, do ponto de vista defensivo e pelas boas condições para a fixação humana.

Ernesto de Melo e Castro é um cliente “real”, concreto, que poderá acompanhar o projecto. É alguém com exigências reais e cujo estilo de vida deve estar reflectido na sua habitação. A forma como o cliente “desmonta” as palavras, criando várias sílabas, agrupando-as de outras formas e conferindo- lhes diferentes significados foi uma vertente que influenciou a fase inicial do trabalho, partindo para uma solução que repartia a casa por vários volumes.

Conceito
Ernesto Melo e  Castro

Mais do que responder a um programa de habitação havia neste caso também que solucionar uma composição e remate de espaço público. Podemos entender este espaço como tendo duas realidades diferentes e quase opostas: de um lado uma forte vertente turística e publica que se relaciona com a Sé, com o Largo da Sé e com a Casa dos 24, e, por outro lado uma relação com uma zona habitacional, com uma rua estreita, mais intimista.

Então assim podemos pensar neste edifício como um todo, dividido em dois núcleos, um público com contributo para a cidade relacionado com o espaço público e com um diálogo directo com a área mais movimentada da zona de intervenção. Por outro lado temos um núcleo mais íntimo, voltado para uma zona residencial, a Rua de São Sebastião, mais calma que é o núcleo da habitação.

Os dois volumes da habitação dividem-se também em volume íntimo (onde estão os quartos) e volume público (onde acontecem os espaços de convivência). Numa busca pela privacidade, a habitação fecha-se em si mesma, abrindo-se para pátios interiores.

Processo
Estudo da Implantação
Processo2
Percursos entre os volumes – subterrâneos
Corte1
Corte pelos 3 volumes – dois da habitação e um do espaço de trabalho e exposição
Planta RC
Planta do rés-do-chão
Planta1
Planta do 1º piso

 

Planta2
Planta do 2º piso
Planta3
Planta 3º piso
Alçado1
Alçado – Relação com a Sé do Porto e a Torre dos 24